14 de abr de 2013

Projetos com a Pastoral – Jornada da Juventude - Disciplina de História


2013: Ano da Juventude – Tema da Campanha da Fraternidade

Professor: Rafael Magno Noronha = ]

Projeto Macro no Ensino Médio:




1.            Teatro – JUVENTUDE – Olhar a história faz parte do seu mundo

Proposta temática: os alunos pesquisarem sobre juventude no século XX  e apresentarem com esse olhar uma década (músicas, ideologias da época,  à 1º semestre.

 Apresentação do teatro em 11 e / ou 14 de Junho – um dia para cada equipe.

As apresentações serão realizadas no horário da pastoral para que a equipe possa ver e posteriormente discutir e melhorar para apresentação na Jornada. Em sala de aula (com a apresentação na PASTORAL) este trabalho valerá 4,0.

Caprichem e se organizem muito bem!

PARA A JORNADA: As equipes deverão entregar até 13 de Setembro um roteiro definitivo e escolhido com a fala dos personagens e o nome definitivo dos integrantes na hora do intervalo para o professor Rafael = ]

Em relação ao tema:
- Liberdade de contexto.
- Complexidade no tema.
- Perigo na tentação de usar artifícios clichês.
- Desafio para superar a criatividade.
- Nada que ofenda a espiritualidade salesiana e cristã.
- Fuja de temas polêmicas, como abordo, castidade, pena de morte...
- Também não seja piegas: “vamos todos dar as mãos e vamos juntos mudar o mundo com Cristo”

A questão não é ser fácil, pois quanto maior o desafio maior a possibilidade de superação e de não se repetir ideias anteriores.

Proposta:
1.            Qual a inovação que sua Equipe propõe?
2.            Qual a surpresa?
3.            Qual o “pulo do gato”?

A inovação estará no texto? No formato do teatro? Ele será tradicional? Ele será pós-moderno? O teatro terá 4 paredes ou 3 paredes? Será um musical? Não terá falas?

Dicas:
·                     Lembre-se que a apresentação final será feita na JORNADA, portanto:
1.            O teatro precisa ser compreendido do 6º ano ao 3º ano EM.
2.             Não se esqueça de que estamos na escola  e que além de valer nota para disciplina de História, é para a Jornada.
3.            A apresentação valendo nota será no auditório no horário da pastoral.
4.             Lembre-se que na Jornada ele é apresentado na Quadra:
·                     Atenção ao volume da voz e à postura no palco.

Eu estarei atendo em relação ao contexto histórico escolhido pelos grupos e me disponho a ajudar no que for preciso, desde que combinado antes.

Atenção
·                     Faça um teatro “leve”.
·                     É teatro, não é aula de História.
·                     A História é apenas pano de fundo (contexto) – mas pensem em jovens que mudam a História.

·                     Avaliarei: apresentação, tempo, organização (e agilidade para se arrumar, para arrumar o  cenário, limpeza do palco, organização das cadeiras do auditório etc – obviamente, que o 1º grupo se arruma primeiro, assim que o sinal da aula bater) e disciplina (na apresentação dos grupos, nos corredores, durante a aula, nas saídas e entradas no auditório – se sair para se arrumar, cuidado para não atrapalhar o grupo que está se apresentando, nos vestiários, etc). No dia da apresentação, usar os banheiros de baixo!!!! = ]


      Roteiro do Teatro (fonte:times new Roman ou arial – tamanho:12, alinhamento: justificado – cor: preta) – entregar no dia da apresentação para a Avaliação de História (11 ou 14 de Junho) e no dia 13 de Setembro entregar reformulado e com os nomes definitivos o roteiro final para a JORNADA.

® Capa:
·         No alto da página – Nome do GRUPO (inventem o nome) e Nome da Equipe (Vida ou Paz)
·         No centro da página – Nome da Peça de Teatro
·         Abaixo do Nome da Peça de Teatro – Colocar disciplina / nome do professor / série
·         No final da página: Nome da Escola e ano

® Desenvolvimento:
·         Primeira Página: Nome dos personagens e dos alunos. O grupo poderá escolher dois alunos (não mais do que dois) para fazer trabalho de apoio: SONOPLASTIA e ASSISTÊNCIA (mais do que isso somente se houver uma justificativa por escrito). Os nomes deles deverão aparecer logo abaixo da lista de personagens e assim como os outros alunos, deverão participar igualmente – da criação aos ensaios.

·         Páginas seguintes: roteiro com as falas, as ações e as músicas usadas.

·         Regras: tempo de duração de 10 minutos no mínimo e de 15 minutos no máximo; a peça deverá se passar em uma das décadas do século XX colocadas em anexo (qualquer dia ou dias); as músicas usadas deverão ser rigorosamente do mesmo período; o figurino deverá ser próximo do contexto da década; se o grupo optar por cenário deve ter atenção ao tempo histórico;

·         Dicas: comecem definindo a data em que a história vai se passar e pesquisem tudo que puderem sobre o dia (ou dias). Tomem cuidado com as gírias e a linguagem, pesquisem as gírias da década escolhida. Tracem um perfil dos personagens e dos gostos de cada um, relacionado com a época, claro. Criem uma história interessante (romântica? Divertida? Misteriosa?), que pudesse ter acontecido em algum dia da época escolhida dentro do tema, mas não seja clichê, pois é uma peça de teatro, não uma aula de História, pois aprenderemos com coisas implícitas.

Observações e dicas:

·         Ensaiar postura no palco e pronúncia;
·         Não ficar de costas para a plateia;
·         Falar de devagar, articulando bem as palavras;
·         Verificar antes se vai precisar de microfone;
·         Uma boa trilha sonora sempre enriquece o teatro;

·         NA JORNADA -  Faça uma sinopse da peça para os jurados – isso ajuda para que eles possam entender a mensagem do grupo, afinal não basta agradar apenas sua equipe!
·         PARA A JORNADA – Não envolva os mesmos alunos no teatro e na transformação.
·         NA JORNADA - Pensar bem como usará o palco e o espaço da quadra, lembre-se que nossa acústica não é a mais interessante para teatro.


O que vem por aí...

1.            Festival do Minuto – 4,0
2.            TEMA: Jornada Mundial da Juventude Faz Parte do Seu Mundo.
3.            Não bastar compreender algo maior (isso feito com o teatro) é preciso entender a partir de uma aproximação maior e isso será feito com a temática da JMJ à 2º semestre (Agosto).

AGUARDEM, mas organizem ideias, imagens, gravações, etc...

TORRE COPOS – selecionem alunos e comecem a treinar! Mais informações em breve!


DÉCADAS

Década de 20
Período pós Guerra Mundial, encerrado com a crise de 1929.
No Brasil, viva-se o final da República do Café com Leite e começava o modernismo.

 “Uma década de prosperidade e liberdade, animada pelo som das jazz-bands e pelo charme das melindrosas - mulheres modernas da época, que frequentavam os salões e traduziam em seu comportamento e modo de vestir o espírito da também chamada Era do Jazz.





Década de 40

No mundo, temos a 2ª Guerra Mundial e na segunda metade da década um ensaio para a Guerra Fria.
No nosso país chegou ao fim o Governo de Getúlio Vargas, iniciando um longo período liberal.


 “Nesta década, foi criado o primeiro computador, o ENIAC, assim como também o primeiro helicóptero de carga. Foram também estabelecidos a ONU, o FMI e o Banco Mundial. Tem início o Plano Marshall, de recuperação econômica da Europa pós-guerra, como um dos principais objetivos de deter o avanço do comunismo pela Europa. A moda feminina dessa década, é considerada uma das mais lindas e sensuais do século XX, visto que o cinema hollywoodiano mostrava beldades como Rita Hayworth,Ingrid Bergman, Ava Gardner, dentre outras, o que ajudou a construir essa concepção coletiva. Foi também nos anos 40 que Marilyn Monroe surgiu pela primeira vez nas telinhas.





Década de 50
No Brasil e no mundo vive-se a chamada Era de Ouro, tanto na economia como na cultura. Os jovens passam a explorar mais a juventude e a ideia de “curtir” mais essa fase.


 “A Guerra Fria, travada entre os Estados Unidos e a então União Soviética ficou marcada, durante os anos 50, pelo início da corrida espacial, uma verdadeira competição entre os dois países pela liderança na exploração do espaço.
A ficção científica e todos os temas espaciais passaram a ser associados a modernidade e foram muito usados.
Os Estados Unidos estavam vivendo um momento de prosperidade e confiança. Isso fez surgir, durante esse período, uma juventude abastada e consumista, que vivia com o conforto que a modernidade lhes oferecia.
A televisão se popularizou e permitia que as pessoas assistissem aos acontecimentos que cercavam os ricos e famosos, que viviam de luxo, prazer e elegância, como o casamento da atriz Grace Kelly com o príncipe Rainier de Mônaco.


Década de 60
O auge da Guerra Fria com a Guerra do Vietnã, explodindo movimentos juvenis em todo o mundo.
No Brasil tem início à Ditadura Militar. No mundo o rock and roll  ganha força.

 “Os anos 60, acima de tudo, viveram uma explosão de juventude em todos os aspectos. Era a vez dos jovens, que influenciados pelas ideias de liberdade da chamada geração beat, começavam a se opor à sociedade de consumo vigente. O movimento, que nos 50 vivia recluso em bares nos EUA, passou a caminhar pelas ruas nos anos 60 e influenciaria novas mudanças de comportamento jovem, como a contracultura e o pacifismo do final da década.”




Década de 70

Uma década marcada pelo “Paz e Amor” e o fim da Guerra do Vietnã.
O Brasil vivia ainda a Ditadura Militar.
Tropicalismo e Movimento Hippie marcam este contexto. Além das discotecas.


 “Foi a época em que aconteceu a crise do petróleo, o que levou os Estados Unidos à recessão, ao mesmo tempo que economias de países como o Japão começavam a crescer. Nesta época também surgia a defesa do meio ambiente, e houve também um crescimento das revoluções comportamentais da década anterior. Muitos a consideram a ‘era do individualismo’. Eclodiam nesta época os movimentos musicais das discotecas e também do experimentalismo na música erudita.”

Década de 90
Vive-se em mundo pós Guerra Fria, com a expansão da Globalização e a popularização da Internet. O mundo pós queda do muro de Berlim. O Brasil assisti ao último grande movimento juvenil de rua – OS CARAS PINTADAS.


 “Otimismo e esperança seguiram o colapso do Comunismo, mas os efeitos colaterais do fim da Guerra Fria estavam só começando, como o advento terrorista em regiões do Terceiro Mundo, especialmente na Ásia. A cultura jovem foi muito diversificada se ramificando em tribos num universo social muito diverso que foi desde o superficialismo e consumismo até a militância ambientalista e antiglobalizante.”



Anos 10 e 30 ficaram de fora por que em termos culturais são menos interessantes ou no caso dos anos 30 muito semelhantes aos anos 20 e um pouco com os anos 40. Já a década de 80 ficou de fora por que já foi tema do teatro da JJ em 2010. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário